domingo, 21 de fevereiro de 2016

Avós dos outros

Esta notícia foi-nos sugerida pela querida Rafaela, muito obrigada! <3

Senhora de 102 anos conduz carro com 82 anos e conduz há 94 anos

Margaret Dunning começou a conduzir aos oito anos. Graças às boas relações sociais da sua família, conseguiu uma habilitação aos 12. Basicamente ela já conduz há 94 anos! O carro que esta simpática senhora conduz é um Packard 740 de 82 anos. 


Notícia completa e vídeo aqui

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Dúvidas da Avó

Na semana passada, houve um sismo na nossa região e a Casa Azul tremeu.
À noite, a Avó perguntou como é que isso acontecia e nós tentámos explicar-lhe que, no interior da terra, se passa muita coisa que origina este tipo de fenómenos. Diz a Avó:

E quando abrem as covas nos cemitérios não dão conta?

Explicámos-lhe que era muito mais abaixo e a Avó concluiu:

Se houver tanto para baixo como há até lá cima, então é mesmo muito fundo!

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

domingo, 14 de fevereiro de 2016

Avós dos outros

Minha avó e a ditadura

"A Deutsche Welle (DW) é a empresa de comunicação internacional da Alemanha.
Os trainees [jovens profissionais recém-formados] internacionais da DW, de origem europeia, asiática, africana e sul-americana viajaram a seus países natais (que passam ou passaram por ditaduras: Alemanha, Belarus, Brasil, Chile, China e Quênia) e entrevistaram as próprias avós. 
(...) suas avós quebraram o silêncio e falaram sobre a própria vida de maneira tocante." 


Conheçam o projecto e vejam o depoimento das avós aqui

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

Ainda do mês de Fevereiro

É frequente pedirmos à Avó para repetir alguma história/provérbio/ditado enquanto a/o escrevemos, para depois "pôr na internet", como lhe dizemos.
Nos últimos dias começou a chamar-nos, com mais frequência, para nos dizer mais alguma coisa de que se lembrou. E, assim, conseguimos que a sua cabeça se mantenha distraída a pensar em coisas para nos/vos contar.

A propósito dos dias mais quentes que se têm feito sentir, disse-nos esta:

"Fevereiro não se quer quente - Fevereiro quente traz o diabo no ventre!"

domingo, 7 de fevereiro de 2016

Avós dos outros

Um apelo de uma neta é-nos impossível de ignorar! 
O nosso Avô também comprava (aliás, pedia-nos para comprar) sempre o CM. Ainda que não gostássemos do jornal, e lhe disséssemos constantemente que havia melhores, fazíamos-lhe a vontade. E também adormecia, muitas vezes, a lê-lo. 

Despeço-me sempre do meu avô com um até amanhã.

Pelo seu avançar acelerado na idade (sim, eu sei, à mesma cadência com que eu avanço na minha), sinto os reflexos, as palavras, a articulação do seu ser a esgotarem-se. Ainda mantém a vivacidade, claro que sim: conduz, vai ali e acolá e mantém rotinas que não abdica - em especial, a compra do jornal, que folheia mais do que lê, mas que lhe é, essencialmente, uma companhia. Indispensável.

Despeço-me sempre do meu avô com um até amanhã.

No outro dia, a meio da preparação de um jantar – não referi ainda mas, uma das qualidades do meu avô, é saber cozinhar maravilhosamente bem – enquanto tentava equilibrar na sua mente onde é que o azeite estava guardado, para salpicar mais um pouco a carne que cozinhava no forno, atirou um:
- Ando a preparar uma coisa para ti… mas não está completo. – E continuou – Faltam algumas folhas, fala com os teus amigos que eles podem ter repetidos.

Pensei em cromos, pensei em livros, pensei em muita coisa. Coisas assim, no geral, que os meus amigos comprassem e tivessem adquirido em duplicado.

Ele tirou o avental, saiu da cozinha com o seu andar compassado e eu fiquei à espera.

Voltou com um monte de “fichas de cozinha”, onde em cada uma delas configurava uma receita. Vim a descobrir depois: foram compradas juntamente com o jornal que ele, religiosamente, segue.

Voltou a reforçar:
– Filha, faltam duas ou três receitas, das semanas que estive de férias. Fala com algum amigo. Pode ser que tenham repetido - para que consigas completar a tua colecção. – Amontou-as direitinhas, enquanto voltava a vestir o avental e entregou-mas.

Agradeci-lhe. E sorri para não chorar.

Despeço-me sempre do meu avô com um até amanha. E, dado que não falamos todos os dias (embora falemos com muita regularidade), o até amanhã afunda-se muitas vezes, invariavelmente, nas profundezas da não concretização.

Não sei se já disse, mas o meu avô adora cozinhar, adora um bom assado, uma boa carne e de passear o jornal, enquanto adormece sobre as suas páginas abertas. Não sei se já disse mas a minha colecção, cuidadosamente feita pelo meu avô para mim, não está completa.

Se alguém a tiver feito, por favor apite, que prometo trocar a volta ao hábito e aplicar um até logo ao invés do já habitual até amanhã.

Catarina Duarte, blog insensatez

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Mês de Fevereiro

Ditados que a Avó nos ensina, acrescentando a respectiva explicação:

"Fevereiro matou a mãe ao soalheiro - o sol de inverno é perigoso por causa das gripes"!

Programas de culinária

Adoramos ver programas de culinária e vemos alguns deles com a Avó, que tem sempre uma opinião a dar!

Ficamos sempre impressionadas com a quantidade de pessoas que diz cozinhar por influência das Avós.
Agora, no Food Netwotk temos um programa inteiramente dedicado à comida dos avós americanos: