terça-feira, 27 de junho de 2017

Produtos úteis

Este é o nosso novo género de lojas favorito :)


Produtos que fomos comprando ao longo dos anos e que têm sido muito úteis:

Também temos andarilho sem rodas, mas não é tão prático.

Usamos mais como cadeira de rodas do que como bacio.

Para quando custa mais à Avó ir à casa-de-banho. Colocamos sempre um saco do lixo para ser mais fácil limpar.


Com quatro pés dá bastante mais segurança.

Alteador de sanita.

Bidé para sanita.

Estrutura metálica de tirar e pôr que mandámos colocar frente à sanita. Foi essencial para o Avô, na recuperação após ter partido a perna, e agora está a ser essencial também para a Avó.

Cadeirão reclinável.

Mesa de suporte para quando a Avó quer ficar sentada na cama.


quarta-feira, 21 de junho de 2017

Recuperação da Avó

Cerca de uma semana depois de a Avó ter regressado a casa, a sua evolução tem deixado todos muito surpreendidos. Ainda que tenha sido um AVC isquémico (conhecido como mini-AVC), os seus 97 anos faziam temer um difícil processo de recuperação.

Nos primeiros dias, ainda tinha algumas visões, com as quais aprendemos a rir, o que levava a Avó a também entrar na brincadeira e a sentir-se mais tranquila: "eu vejo, mas sei que não estão cá".

[Avó com o cotovelo a bater no ar]: "olha, aquela mulher já está aqui outra vez, a ver se lhe acerto!"

Nunca precisou de terapia da fala porque recuperou, perfeitamente, da afasia e da disartria.

Por vezes, pensamos que está a ter alguma dificuldade de compreensão ou com perda de memória, mas depois percebemos que estava apenas a ouvir mal (o que já acontecia)!

Em pouco tempo, recomeçou a comer sozinha, sem nunca ter problemas de deglutição, e a conseguir pegar nos objetos.

A visão ainda está um pouco afectada, mas notamos que já consegue ver melhor.

Perdeu alguma da (já pouca) força muscular, mas ainda consegue andar, com a ajuda do andarilho.

Para nós, tem sido muito bom sentir que, acima de tudo, a recuperação da parte mental está praticamente a 100% e que mantém, na maior parte do tempo, o bom-humor e a força de vontade que sempre lhe conhecemos.

segunda-feira, 12 de junho de 2017

A Avó já está em casa!


Exames e análises estão bons, está consciente e colaborante, com discurso normal.
Até aqui, estava dependente nas atividades da vida diária (AVD), mas agora, em casa, já começámos a testar a sua autonomia: já vai comendo sozinha e já caminha com ajuda do andarilho (tal como antes).

Lemos-lhe todas as vossas mensagens e ela agradece, de forma muito sentida. E acrescentou "são pessoas muito educadas"! :)

Muito obrigada a todos pelo apoio!

domingo, 11 de junho de 2017

Ponto de situação

Avó e netas agradecem todas as orações, apoio e energia positiva enviados.
A Avó continua internada, mas está a recuperar bem.
A cabecita está quase tão fresca quanto antes!

Agora é dar tempo e esperar que assim continue.

Muito obrigada!

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Modo off

A Avó teve um AVC (isquémico) e está internada, sob vigilância.
Temos passado o máximo de tempo possível com ela e acreditamos que já estamos a sentir algumas melhorias, mas podem ser os nossos corações de netas a falar mais alto.

A Avó pedir-vos-ia orações.
Nós apenas agradecemos o vosso apoio e carinho virtuais.

Esperamos regressar com boas notícias.

quinta-feira, 1 de junho de 2017

Designações

Gostamos da forma como o Centro de Apoio Domiciliário se refere às pessoas responsáveis pelo utente/cliente (neste caso, nós!): "pessoa significativa".


domingo, 28 de maio de 2017

Avós dos outros - "Uma vida no coração"

Bastou-nos ler esta apresentação para querermos partilhar a história no nosso blog:

"Foi a infância cercada pelas avós e todas as lembranças e ensinamentos deixadas por elas que inspiraram a Julieta Lima a escrever “Uma vida no coração”.
Ela conta a história de Augusto, um menino de 9 anos, que precisa lidar com a morte da avó, que morava com ele e os pais, cuidava do neto todos os dias e ensinava a ele tudo o que sabia."


Facebook "Associação Educore"

Neste momento, decorre uma campanha de financiamento coletivo para viabilizar a publicação da obra: http://infanciar.org.br/.