sexta-feira, 20 de outubro de 2017

15 de outubro de 2017

Da janela da nossa casa, temos a sorte de ver pouco do verde que restou no nosso concelho (e no concelho vizinho, que também é nosso). Domingo à noite, vivemos os piores momentos da nossa vida, quando sentimos que o fogo ia descer esta encosta: pessoas aos gritos, sinos a rebate e as chamas imparáveis. 
Tentámos cumprir as regras que havíamos lido minutos antes e depois ficámos à espera, com os amigos/família/vizinhos numa rede de apoio que tanto nos tranquilizou. O vento salvou-nos, mas a nossa sorte foi o azar de outros, sentimento contraditório...
A avó sempre a dormir, uma sorte no meio do desespero! 

Conhecer os sítios de que tantos falam, conhecer as pessoas das histórias que tantos partilham é uma estranha sensação de proximidade a uma realidade que nunca pensámos viver.



quarta-feira, 11 de outubro de 2017

11 de outubro de 2017 - um dia feliz!

Para festejar os 98 anos da Avó decidimos surpreendê-la! Convidámos os amigos que têm estado sempre presentes para aparecerem cá em casa, ao longo do dia, e assim tivemos uma tarde muito feliz.
Há muito tempo que não víamos a Avó tão bem disposta!

Ao ver tantas pessoas, perguntou-nos: "veio cá tanta gente, hoje é feriado?"

Lemos todas as mensagens (blog, facebook, instagram) e a Avó agradece, emocionada, muito feliz e a perguntar: "como é que cabe aí [internet] tanta coisa?!".

Nós só vos podemos agradecer, do fundo do coração.

11 de outubro de 1919

A Avó faz anos!

Depois de, nos últimos tempos, termos tido alguns sustos com a saúde da Avó, decidimos que os 98 são os novos 100, por isso também temos de os festejar!
A única coisa que a Avó costuma pedir é "amor, carinho e caridade", por isso gostaríamos que enviassem o vosso carinho em forma de mensagem, para nos ajudarem a fazer do seu dia, um dia mais feliz.

quinta-feira, 28 de setembro de 2017

As piadas da Avó

Desde que teve o AVC, a Avó ficou com a visão ligeiramente afetada e, às vezes, demora algum tempo a focar aquilo que quer ver.
Colocámos o seu relógio de parede num outro local estratégico, de forma a que consiga autonomamente ver as horas, mas, quando não consegue, chama-nos para perguntar.
Por vezes, não dizemos logo, ajudamo-la e pedimos para ser ela a dizer. Noutro dia, chamou e respondemos de imediato: "São 8h40".

- Eu sabia. Era só para ver se me perguntavam que horas eram, porque agora eu consegui ver!

terça-feira, 26 de setembro de 2017

Avó, mudámos a casa!

Durante a nossa infância, quando vivíamos na Casa Azul ou quando apenas vínhamos passar as férias, o sítio onde passávamos mais tempo era o sótão. Depois, acabou por se tornar num espaço sem uso, desorganizado, onde acumulávamos toda a tralha.
Por isso, um dos nossos sonhos era reconstruí-lo/remodelá-lo de forma a tornar-se novamente um espaço habitável e agradável.
Passados muitos anos, o sonho cumpriu-se e é agora um dos nossos espaços favoritos e a atração das crianças que por cá passam!

 
Salão - Tudo o que está na zona infantil era nosso e dos nossos primos

 
Quarto/Escritório

 
Escadaria


Salão - Espaço mobilado com peças que já estavam na Casa Azul e foram recuperadas por nós e outras peças que vieram das nossas anteriores casas

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Do nosso instagram

@netasdacasaazul

  

O "bolo" de anos do nosso pai.
O tema de Twin Peaks em cassete!     
Há quem veja figuras nas nuvens. Nós vemos nas paredes em reconstrução!

 

O nosso "Sabichão", com mais de 25 anos, nas mãos do sobrinho-do-coração.
Da banda sonora de uma amizade com 20 anos (bordado pela Neta Mais Nova).
Mensagem encontrada num dos livros que requisitámos na nossa Biblioteca.

 

Recordações da Neta Mais Nova quando era benfiquista "praticante" e fã n.º 1 do Calado!
Decoração/Recordação/Homenagem: dois dos chapéus do Avô.

 

Livros infantis + Casa Azul da Frida Kahlo = prendas que adoramos (e fingimos que são só para quando o sobrinho-do-coração vem cá casa!)

video

Viver entre a serra e o mar.

domingo, 24 de setembro de 2017

A Avó e as novas tecnologias


Foto que o nosso tio-avô enviou do Brasil para a família poder acompanhar o crescimento do seu filho (anos 50). 
Passámos de 2 ou 3 telefonemas por ano com o nosso primo/sobrinho, que está na foto, ao contacto e à troca de vídeos e fotos de forma frequente, através das redes sociais.
A Avó mostra sempre vontade de enviar uma mensagem falada, então, costumamos gravá-la a enviar beijinhos. Noutro dia, enganou-se e disse-nos:

"Ai, enganei-me, risca!"

No final, depois de receber mensagem de volta, dizia:

"Vejam lá, eu aqui nesta miséria [falta de saúde] a falar pró Brasil!"