segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Avanços da Medicina

Agradecemos os avanços da medicina, em geral, e, em particular, aqueles que vieram facilitar o nosso dia-a-dia!


Esquerda: conjunto usado pelo nosso Avô, tanto para a família como para quem precisasse, na aldeia. Segundo nos conta a Avó, o Avô aprendeu a dar injeções quando houve um surto de tifo na aldeia e ele foi o único que não teve.
Ainda nos lembramos de ver a caixa a "arder" (ainda está negra por baixo) para esterilizar os materiais.
Direita: injecções que a Avó teve de tomar, agora, e que, assim, conseguimos ser nós a dar (com as devidas orientações).

2 comentários:

  1. O meu pai também tinha uma caixinha dessas e dava injeções ao domicílio (e a nós, caraças, bem me lembro - aquilo doía...)
    O engraçado é que era o medico - daqules que iam ao domicílio com a sua mala triangular - que deixava as receitas para fulano e sicrano em nossa casa, o meu pai ia aviar, escrevia o nome da pessoa e as horas em que tinha de tomar a injeção, guardava as xaixas num armário que tinha uma gaveta com chave só para esse efeito, e lá ia ele todos os dias espetar agulhas na vizinhança.
    E o meu pai era pescador! Nem sei onde/com quem aprendeu a dar injeções.
    Do que me foste lembrar!
    Dulce/Porto

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada pela partilha da história, gostámos muito!!

      Eliminar