quarta-feira, 21 de junho de 2017

Recuperação da Avó

Cerca de uma semana depois de a Avó ter regressado a casa, a sua evolução tem deixado todos muito surpreendidos. Ainda que tenha sido um AVC isquémico (conhecido como mini-AVC), os seus 97 anos faziam temer um difícil processo de recuperação.

Nos primeiros dias, ainda tinha algumas visões, com as quais aprendemos a rir, o que levava a Avó a também entrar na brincadeira e a sentir-se mais tranquila: "eu vejo, mas sei que não estão cá".

[Avó com o cotovelo a bater no ar]: "olha, aquela mulher já está aqui outra vez, a ver se lhe acerto!"

Nunca precisou de terapia da fala porque recuperou, perfeitamente, da afasia e da disartria.

Por vezes, pensamos que está a ter alguma dificuldade de compreensão ou com perda de memória, mas depois percebemos que estava apenas a ouvir mal (o que já acontecia)!

Em pouco tempo, recomeçou a comer sozinha, sem nunca ter problemas de deglutição, e a conseguir pegar nos objetos.

A visão ainda está um pouco afectada, mas notamos que já consegue ver melhor.

Perdeu alguma da (já pouca) força muscular, mas ainda consegue andar, com a ajuda do andarilho.

Para nós, tem sido muito bom sentir que, acima de tudo, a recuperação da parte mental está praticamente a 100% e que mantém, na maior parte do tempo, o bom-humor e a força de vontade que sempre lhe conhecemos.

1 comentário:

  1. De vez em quando passo por aqui, gosto do vosso blog e de ver o imenso carinho que nutrem pelos vossos Avós, há quase dois anos mais dedicado à Avó. Fico sinceramente feliz que a vossa Avó esteja a recuperar e espero que assim continue. Tudo de bom, a todas três! (Perdoem a intromissão, mas faz-me lembrar a mim querida Avó, de excelente disposição, doce e espírito resiliente, que também este ano teria feito 97 anos.) Carla.

    ResponderEliminar